Com set recheada de clássicos, Megadeth cumpre o que promete: uma noite inesquecível.

_MG_8036

A cidade de São Paulo tem recebido nos últimos tempos shows absolutamente extraordinários e essa semana especificamente está fazendo a cabeça dos fãs de rock ficarem carecas de alegrias (e inegavelmente mais pobres), com shows do Helloween, Green Day, Bad Religion e a banda do post de hoje, o Megadeth.

Você leitor deve estar pensando “mas poxa, Megadeth de novo?!”, afinal o grupo veio ano passado e se levarmos em consideração a última década, possivelmente todos os fãs já tiveram a oportunidade de assistir Dave Mustaine e sua turma de perto, mas amigo, posso te falar, o show do Megadeth é algo incansável! Já assisti o grupo em outra oportunidade e cara… como assistir esse espetáculo é uma delícia! Mas ok, vamos por partes, já que o grupo lendário quarteto da Bay Area veio acompanhado de uma outra banda, o Vimic.

_MG_7970

“Vimic? Que diabo é Vimic?!” Eu (e provavelmente 90% do público) fizemos a mesma pergunta, até que minutos antes do início do show fomos todos surpreendidos com a notícia que a banda em questão tinha ninguém menos que o lendário Joey Jordison (ex-Slipknot) nas baquetas! UAU! Quando o baixinho parrudo e mal encarado caminhou pelo palco para saudar os fãs, foi como se uma grande ficha caísse dentro do Espaço Das Américas, fazendo com que todos que já se apertavam na pista, pudessem se preparar para a pedreira que viria pela frente.

Você pode ser o fã mais cético, crítico, ranzinza e “torcedor de nariz” do mundo, mas o cara manda MUITO bem na bateria! Com um som mesclando um hard rock modernoso, adicionada pitadas de hardcore e doses cavalares de heavy metal, a banda roubou a noite e o coração dos que não conheciam suas músicas (como esse que vos falar nesse momento).

_MG_7703

Com um show consistente e carregado de energia o Vimic correu por pouco mais de uma hora até que fosse chegada a hora do palco se preparar para os thrashers do Megadeth.

Voltando ao começo da resenha sobre a delícia que é assistir a um show do Megadeth, digo isso pois enquanto em muitos shows é possível sentir que a banda está se esforçando, suando e dando o máximo de si no palco para entreter o público, o Megadeth não! A banda parece estar passeando no parque ou fazendo algo tão banal quanto subir num palco e tocar para 4000 pessoas em uma noite de terça- feira.

_MG_8331

Mesmo já conhecendo o possível setlist, mesmo já sabendo todas as letras, todo o comportamento de palco, qual roupa eles irão estar vestindo e cada acorde das músicas, os fãs iam ao delírio a cada nova música, pulando, gritando e cantando em coro sem perdoar um segundo. Tudo isso porque de alguma forma, o show em si é algo agradável, você se sente a vontade e extremamente contagiado pelo desenvolvimento da apresentação por ver que os músicos estão felizes, cantando, correndo, tocando e interagindo com cada um da plateia.

Apesar da turnê receber o nome do último disco lançado, “Dystopia“, ninguém saiu de lá decepcionado, pois o que houve foi uma verdadeira enxurrada de clássicos e hits do grupo como “Hangar 18” que abriu a noite, “Sweating Bullets“, “A Tout Le Monde“, “Tornado Of Souls“, “Symphony Of Destruction” e para fechar “Holy Wars… The Punishment Due“.

_MG_8240

Todos já sabem disso e a internet está cheia de comoções desde que o guitarrista brasileiro Kiko Loureiro entrou para o Megadeth e venho contribuir para essa estatística, pois o músico simplesmente destruiu tudo que existia sobre referência de performance de um guitarrista ao vivo, correndo, pulando, gritando, cantando, solando… e tudo mais que você possa imaginar.

É possível ver que ele está extremamente a vontade sobre o palco e que está no ápice de sua carreira, além de aparentemente estar ajudando e contribuindo muito para o banda no cenário extra palco, com seu carisma, simpatia e positividade.

_MG_8318

Cumprindo com o prometido no ingresso, os fãs saíram de cabeça feita e alma renomada após muito pular e gritar a vontade em uma verdadeira festa. Se você ainda não teve a oportunidade de assistir esses monstros ao vivo, por favor, faça um favor a si mesmo e não deixe a próxima oportunidade passar, pois eu garanto, vale MUITO A PENA!

Setlist:

1 – Hangar 18

2 – The Threat Is Real

3 – Wake Up Dead

4 – In My Darkest Hour

5 – Trust

6 – Take No Prisoners

7 – Sweating Bullets

8 – She-Wolf

9 – Skin o’ My Teeth

10 – A Tout Le Monde

11 – Tornado of Souls

12 – Dystopia

13 – Symphony of Destruction

14 – Mechanix

15 – Peace Sells

16 – Holy Wars… The Punishment Due

 

Para ver mais fotos do Megadeth e do Vimic clique aqui e aqui!

_MG_8250

Comentários