Conheça a Cripper, banda de thrash metal da Alemanha

cripperSe você acessa o Rock Noize deve estar acostumado com as apresentações de bandas novas por aqui e hoje a gente vai falar com a galera do thrash metal. O estilo é muito tradicional e vive dando bons frutos por aí. Um deles é a banda Cripper.

Natural de Hannover na Alemanha, o grupo é comandado pela vocalista Britta Gortz e ainda conta com Christian Brohnenhorst e Jonathan Stenger nas guitarras, Lommer no baixo e Deniss Weber na bateria. Neste ano eles lançaram seu quarto disco de estúdio e nosso amigo e leitor Allan Ruy conta um pouco dele pra gente conhecer.

“Follow Me: Kill!” é um disco com 10 faixas, sendo o mais diversificado da banda e mantendo toda sua essência pesada do thrash. O trabalho é uma aposta em novas sonoridades e atmosferas e até vocais limpos em algumas faixas. É um divisor de águas na discografia da Cripper e, provavelmente, o melhor disco que eles já produziram.

Pressure

Primeiro single que a banda liberou para seu público mantém sua pegada thrash tradicional com alguns elementos modernos de riffs e uma notável evolução vocal da Britta Gortz. É perceptível que os guitarristas Christian e Jonathan também evoluíram musicalmente nesse disco.

Into The Fire

Faixa da qual o titulo “Follow Me: Kill!” foi retirado, um álbum que em sua grande parte pode ser interpretado de maneira conceitual. Sua temática principal são assuntos sobre governo/politica e como eles influenciam a sociedade.

World Coming Down

Nessa música podemos notar já uma utilização de vocais “limpos” da Britta que quase não utiliza juntamente com riffs de guitarra bem diferenciados e característicos. Cada faixa é bem singular e característica, não fica a sensação de ouvir a mesma coisa.

Mother

Em minha opinião a melhor faixa do álbum, é agressiva e com uma ótima atmosfera mostrando o quanto a banda evoluiu musicalmente. Podemos ver o quanto o vocal da Britta aumentou sua densidade e quanto a bateria do Dennis esta violenta e bem trabalhada. Além de ter pontes e passagens que contrastam bem com a agressividade da música.

Shoot or Get Shot

Com uma pegada de thrash metal tradicional, bem agressiva e direta. Quem ama o tradicional do grupo e o bom thrash metal também vai adorar essa faixa. Destaque para a bateria do Dennis!

Bleeding Red

Quando pensamos que a banda não pode ficar mais pesada entra Bleeding Red com vocais e riffs bem pesados nos versos, com screams de tirar o folego e ótimas alternações de guturais! P E S A D Ã O!

Comatose

Quando a Cripper resolve criar atmosferas em suas músicas, algo interessante sempre aparece. Comatose começa com um ótimo solo de baixo e guitarras leves, até que “explode” tudo juntamente com o gutural da vocalista, que também faz algumas variações vocais nessa faixa. Também é uma das melhores do disco.

Pretty Young Thing

Geralmente em um registro comum chegamos na oitava faixa e ficamos cansados de escutar, nesse caso Pretty Young Thing inicia de uma maneira bem “latina” e curiosa: “seriam castanholas tocando?”– seguidas de um riff matador. Algo bem diferente, incomum e que casou muito bem… divertido! Hahaha!

Running High

Podemos dizer que é a música mais melódica e que também com uma grande atmosfera. Temos vocais limpos, screams e guturais e guitarras bem trabalhadas. A impressão é que é cantada com emoção e raiva em uma letra bem extensa e filosófica, também uma das favoritas do disco.

Menetekel

Faixa final do disco, encerrando de maneira agressiva e tradicional da banda, mais uma ótima pedida para quem quer escutá-la em sua total força! Tem riffs bem marcantes que “soam como um alerta” – quem ouvir vai entender o que quero dizer.

“Follow Me: Kill!” é de longe o melhor álbum do Cripper, supera o anterior, Hyena”. com tanta intensidade, criatividade e paixão. Cada faixa é única e diferenciada, é um registro que eu realmente acredito que é inovador e exclusivo.

Cada membro teve uma incrível evolução musical, mostrando o quanto este álbum merece ser destacado no mundo do metal. Aproveite para conhecer um pouco mais do Cripper curtindo a página deles no Facebook e abaixo escute “Follow Me: Kill!”.

 

Texto: Allan Ruy

Edição: Marcelo Coleto

Foto: Divulgação/Internet

Comentários