Death Proof para quem queria estar morta

Coluna saindo só hoje por motivos de como minha vida é ridícula.

Mentira.

Teoria da relatividade misturada com a teoria do caos, embalada no papel de trouxa pra presente.

Tudo bem que o tempo passa diferente para cada pessoa, Einstein comprovou isso, gênio, etc, mas VAI SE FODER SR CIENTISTA PENSADOR DOS CARALHO.

Eu devo falar isso toda semana, mas dessa vez é sério, botaram minha vida dentro daqueles globos de bola de bingo e giraram over and over and over, e é praticamente um milagre eu estar aqui, às 4:48 da manhã, SABE DEUS COMO tendo forças pra indicar uma putaquepariu de disco pras rainha que devem ter – ao contrário de mim – já almoçado, jantado, tomado um banhozinho quentinho, e estar dormindinho abraçadas no travesseiro com essência de lavanda.

Eu odeio vocês.

Ok, mas não vamos levar isso pro lado pessoal. Essas fases acabam mostrando que a gente é mais forte do que imagina (O QUE NO MEU CASO EU JÁ TO BEM DE BOUAS DE FORÇA, RECADO DADO), e foi exatamente por este motivo que dessa vez eu não escolhi um disco de uma banda, mas UMA TRILHA SONORA.

Porque sim, sexta-feira ainda é semana, e -por mais ridículo que seja- ainda dá tempo de indicar uma coisa aí pra vocês ouvirem. E já que eu tô fazendo dessa coluna um hd externo da minha vida ridícula, A trilha escolhida foi a do filme “Death Proof” do Tarantino. Porque sério, se eu não tive um colapso, um ataque, um mal súbito nessa semana, eu sobrevivo a tudo.

Além de ser um dos melhores filmes do Tarantino (existe filme ruim do Tarantino?) “Death Proof” é uma das trilhas sonoras mais ~aclamadas~ por motivos da .::inesquecível::. cena de lap dance (em que muita gente descobriu o que é uma lap dance) ao som de The Coasters com Down in Mexico.

Temos um maravilhoso T.Rex que não importa a música, é T.Rex, pqp, e a faixa surpreendente Baby It’s You – Smith, da cena em que a gata tá girando as cabela na jukebox (e juro, já vomitei por menos).

Outra faixa incrível porém rola justamente na cena detestável (vocês garotos escrotos e ~one cool girls~ devem adorar), em que o maníaco bate no carro das minas é Hold Tight, de Dave Dee, Dozy, Beaky, Micky & Tich (que desde que o filme foi lançado, juro pra mim mesma que irei atrás de mais coisas da banda e nunca vou).

Por fim, temos a incrível Chick Habit de April March, do desfecho mais incrível possível, e até hoje não sei direito se discoteco sempre essa música pela sua qualidade indiscutível, ou pelo contexto que ela aparece no filme.

O álbum ainda tem aquelas manias de colocar alguns trechos de diálogos antes das músicas, que era até que maneiro em Pulp Fiction, mas tá ficando uma coisa meio mala.

Mas quem sou eu pra discordar do Tarantino a essa altura da madrugada, ainda mais com o despertador do vizinho já tocando.

Pra ouvir a excelente trilha sonora é só clicar aqui.

 

DebbieHell comanda os blogs Ouvindo Antes de MorrerMúsica de MeninaDebbie Records e não sabe a hora de parar. 

Leia outros textos da Debbie na “Som da Semana” clicando aqui.

Comentários