Depois de 40 anos, guitarrista Steve Hackett revisita Genesis em Porto Alegre

Na noite da última terça-feira (20.03), o guitarrista Steve Hackett apresentou-se em Porto Alegre tocando clássicos de sua carreira no Genesis na “2018 Tour De Force”, acompanhado de outros cinco músicos de diferentes nacionalidades. O cantor Nad Sylvan foi o responsável por interpretar cerca de sete canções originais do grupo britânico, na segunda metade do show.

Depois de mais de 40 anos, Steve Hackett voltou à capital dos gaúchos para conversar com o público arriscando diversas palavras em português, e claro, para mostrar toda a sua técnica apurada e misturas de arranjos para cordas que trazem fusões de elementos orientais e ocidentais.

E desde sua última passagem por aqui em 1977 com o Genesis pelo Gigantinho, o guitarrista de 64 anos que é considerado um dos pais do rock progressivo lançou mais de 20 álbuns de estúdio, gravações ao vivo, entre outras experimentações.

A apresentação de Steve Hackett iniciou às 21h, no Auditório Araújo Vianna, com um repertório de 2h30 que contemplou 16 músicas. O guitarrista revisitou o começo de sua carreira com sons dos discos mais antigos como “Please Don’t Touch” (1978) e “Everyday”, de Spectral Mornings (1979), executou clássicos da fase mais criativa do Genesis e as mais recentes  “Behind The Smoke” e “El Niño”, do trabalho solo The Night Siren (2017).

Com a versatilidade que demonstra como compositor e instrumentista, Hackett trouxe para o palco uma performance de pura concentração com características de muitos gêneros, como jazz e blues. As experimentações de Hackett continuam férteis desde 1970 até hoje, inclusive na escolha dos músicos que o acompanham: Nad Sylvan (vocal), Roger King (teclados), Gary O’Toole (bateria/percussão), Rob Townsend (sax/ flautas e percussão) e Jonas Reingold (baixo).

Entre as músicas mais antigas, do GTR (supergrupo que contava ainda com Steve Howe, do Yes, e Jonathan Mover), a voz de Sylvan ganhou acompanhamento dos fãs durante “When The Heart Rules The Mind”, e “Icarus Ascending”, que foram cantadas em coro no Araújo Vianna. As letras – que ainda continuam na ponta da língua – emocionaram ao público maduro e mais reservado.

O show de Steve Hackett não poderia ser completo sem ressuscitar os melhores temas do Genesis: “Dancing With The Moonlit Knight” e “One For The Vine”, que foram os sucessos escolhidos para abrir a segunda parte do show. Pouco a pouco, os fãs que, até então permaneciam sentados, foram dominados pelas boas lembranças do passado durante as músicas mais intensas e de melodias mais reconhecidas pelo público em geral, como as incríveis “Inside and Out”, “The Fountain of Salmacis” e “Firth of Fifth”.

O belo timbre vocal e a presença forte de Nad Sylvan trouxe personalidade às músicas do Genesis. A inevitável comparação com os ídolos faz com que – o americano criado na Suécia – permaneça excursionando pelo mundo ao lado de Hackett.

Em 2008, Nad se envolveu com o altamente aclamado álbum “Unifaun”; um projeto homenageando a era dos anos 70, de Genesis. O álbum “Unifaun”, e em particular a voz de Nad (frequentemente descrita como uma mistura de Peter Gabriel e Collins) chamaram a atenção de Roine Stolt de The Flower Kings e Transatlantic. Juntos eles formaram o “Agents Of Mercy” em 2009 e lançaram três álbuns até o momento; “The Fading Ghosts of Twilight” (2009), “Dramarama” (2010) e “The Black Forest” (2011), bem como uma turnê bastante extensa.

Ao lado de Peter Gabriel e Phil Collins, Steve Hackett fez sucesso em uma das bandas mais celebradas da história do rock progressivo, o Genesis. São deles os acordes, solos e melodias de discos clássicos como: “Foxtrot” (1972), “Selling England by the Pound” (1973) e “The Lamb Lies Down on Broadway” (1974) do grupo britânico. Em sua história, o que os fãs fazem questão de destacar é o fato dele ter sido o primeiro guitarrista de rock a usar a técnica de “tapping”, por isso é admirado por grandes ícones da guitarra, como Eddie Van Halen, Alex Lifeson e Brian May.

Agora no Brasil, após mais de 40 anos desde que deixou a lendária banda, o guitarrista promove sua mais recente turnê que ainda passou por São Paulo nesta quinta-feira (22), e no final de semana desembarca em Belo Horizonte (MG) e no Rio de Janeiro (RJ).

Curiosidade: apreciador da música popular brasileira, Steve Hackett  teve uma participação especial bem peculiar na história do pop nacional. Ele é o responsável pelas guitarras da música “Menina Veneno” (Voo de Coração), o eterno hit do também britânico Ritchie, gravada no início dos anos 1980. Fonte: Folha – Uol.

Set list Steve Hackett (Genesis Revisited, Solo Gems & GTR 2018 Tour de Force)

1. Please Don’t Touch

2. Everyday

3. Behind The Smoke

4. El Niño

5. In The Skeleton Gallery

6. When The Heart Rules The Mind

7. Icarus Ascending

8. Shadow Of The Hierophant

9. Dancing With The Moonlit Knight

10. One For The Vine

11. Inside and Out

12. The Fountain of Salmacis

13. Firth of Fifth

14. Musical Box

15. Supper’s Ready

Bis

16. Los Endos

Texto e fotos: Daiane Costa e Day Montenegro

Realização: Top Cat Concerts Series 2018 e Branco Produções

Comentários