ENTREVISTA EXCLUSIVA: “Esperem cinco pessoas sobre o palco dando o melhor delas”, diz vocalista do Basement

Basement-2017Prestes a desembarcar no Brasil pela primeira vez, o grupo de rock inglês Basement deu uma entrevista exclusiva para a Rock Noize. Nela falamos sobre banda, o processo de gravação do último disco e a expectativa da turnê que irá correr toda a América Latina, desde o México, passando pela Costa Rica, até o porção sul do continente.

O Brasil será responsável por fechar a série de 10 apresentações. Ainda há ingressos disponíveis para os shows brasileiros: dia 21 em Porto Alegre, 22 em São Paulo e 23 em Curitiba, por isso se você ainda não garantiu o seu, não perca tempo!

Vejamos a entrevista exclusiva respondida pelo vocalista Andrew Fischer!

Rock Noize: O Basement é uma das bandas mais difíceis de enquadrar em um gênero específico, pelo grande misto de influências musicais no som da banda. Como vocês criam esse ambiente no som? Como é o processo de se fazer música?

Andrew Fischer: Honestamente, eu não sei. Nós apenas nos reunimos e escrevemos. Se nós gostamos da sonoridade de alguma coisa, nós continuamos trabalhando nela, se não, paramos por ai. Acho que o Basemente pode ser facilmente enquadrado em uma categoria: rock. Por mais doloroso que seja pra mim falar isso, porque “rock” conjura a imagem de coletes de couro e barbas grossas, mas é isso que nós fazemos. Nada de especial, nada de novo, duas guitarras, baixo, bateria e vocal.

Rock Noize: Olhando para a história da banda, os membros possuem diferentes carreiras além da música, como vocês controlam para que essa “segunda vida” não interfira nos seus projetos principais?

Andrew Fischer: Bem, todos nós saímos dos nossos empregos para começar banda de novo, haha. Então originalmente nós não tínhamos um balanço adequado sobre isso e agora estamos tendo que nos dedicar drasticamente para a banda, como nós sabemos muito bem. Essa é uma situação muito agradável pra mim, me sinto muito sortudo.

Rock Noize: Vocês estão vindo com um novo disco depois de quase 5 anos desde o “Colourmeinkindness”, vocês sentiram alguma diferença para gravar esse disco?

Andrew Fischer: Na verdade não, a gravação foi bem difícil em algumas partes, mas nós passamos por isso. Foi o mesmo processo: escrevendo as letras separadamente, nos reunindo para trabalharmos nas ideias no estúdio e gravando tudo o mais rápido possível. Esperamos nunca mais escrevermos e gravarmos dessa forma de novo, haha. Queremos fazer as coisas no nosso tempo da próxima vez.

Rock Noize: Como vocês estão se sentindo sobre essa turnê inédita pela América Latina? Qual a expectativa de vocês?

Andrew Fischer: Nós estamos verdadeiramente excitados. Eu não tenho a menos ideia do que esperar, pois eu nunca estive ai! Eu só quero aproveitar o máximo que eu puder. Conhecer pessoas, ver lugares, comer uma boa comida e beber café. Eu gosto de explorar e experimentar culturas diferentes, então como eu nunca estive por ai antes, eu estou esperando por isso ao máximo.

Rock Noize: Você provavelmente tem um monte de fãs perguntando por um novo disco, vocês estão preparando algum material novo ou estão planejando um novo hiato na carreira após a turnê?

Andrew Fischer: Eu estive escrevendo para um novo disco por algum tempo. Escrever e criar é a minha parte favorita de fazer parte de uma banda, então eu realmente gosto o tempo os períodos de tempo que estivemos fora, para fazer isso recentemente. Eu não vejo nenhum novo hiato pela frente, haha.

Rock Noize: Para fechar, o que os fãs brasileiros podem esperar para o show do Basement? Eu posso lhe garantir que você será recebido calorosamente!

Andrew Fischer: Esperem por cinco pessoas dando o melhor delas, tocando músicas que demos o máximo da capacidade. Nós estamos aguardando essa oportunidade para tocar na América Latina à algum tempo. As pessoas sempre nos perguntam sobre quando iremos visita-los e agora estamos muito felizes por finalmente estarmos fazendo isso!

 

 

Foto: Divulgação/Internet

Comentários