Entrevista Exclusiva: Gabriel Thomaz fala sobre Little Quail, música pré-internet e muito mais

Little Quail and The Mad Birds 3Nas últimas semanas vocês viram aqui no Rock Noize que falamos bastante de uma das bandas mais clássicas do rock nacional nos anos 90. Na era pré-internet o Little Quail And The Mad Birds dava as cartas com seu rock alternativo e cheio e energia.

O trio era formado por Gabriel Thomaz (guitarra e vocais), Zé Ovo (baixo e vocais) e Bacalhau (bateria) agora está com todos os seus álbuns disponíveis nas principais plataformas digitais via Believe Digital. Isso não é uma volta, mas fica o fio de esperança, né?

Bom, depois disso a gente trocou uma ideia muito legal com o Gabriel Thomaz, que vocês mais jovens devem conhecer pelo ótimo trabalho no Autoramas. O Gabriel falou a adaptação à era da internet, como foi o início da Little e muito mais.

Corre lá no seu serviço de streaming, dá o play nos discos do Little Quail e confere a nossa entrevista com o Gabriel Thomaz aí embaixo!

Rock Noize: Como foi depois de tanto tempo finalmente colocar as músicas de vocês nos serviços de streaming? Vocês já estão completamente ambientados com o mundo digital?

Gabriel Thomaz: Deu muito trabalho. Eu bem que tento, mas é bem difícil. É adaptação atrás de adaptação, tudo muda rápido, as pessoas aderem e abandonam formatos com muita rapidez.

Rock Noize: A Little Quail foi formada numa época bem pré-internet e sem as facilidades de divulgação dos tempos atuais. Quais eram as dificuldades de divulgar suas músicas e como vocês faziam nos anos 90?

Gabriel Thomaz: Quando começamos fizemos uma fita demo que vendeu 2000 cópias, gravadas uma a uma por mim, empacotadas e enviadas pelo correio. Mas tínhamos um público muito grande que estava sempre com a gente. Eu até escrevi um livro sobre esse período e esses métodos, o Magnéticos 90. Leia, você vai se divertir muito.

Rock Noize: A internet ajuda na divulgação das músicas e discos, mas vocês não acham que está tudo muito rápido, passageiro, quase uma urgência? 

Gabriel Thomaz: Acho, mas ao mesmo tempo hoje se descobrem coisas antigas ultra obscuras também. No rock estamos vivendo uma época de adoração ao Classic Rock. Temos dois lados da moeda.

Rock Noize: Recentemente vocês lançaram um trabalho com músicas gravadas nos tempos de banda, o que leva a gente a pensar que né, vocês poderiam voltar, gravar, fazer shows… E aí, bora? 

Gabriel Thomaz: Desde que a banda acabou já fizemos umas 7 reuniões… voltar em definitivo não vai rolar pois cada um tem seus trabalhos que ocupam muito tempo. Com o Autoramas não paro.

Rock Noize: Brasília sempre foi um polo de bandas de rock. O que vocês ouviram por lá nos últimos anos e que o resto do país pode ouvir em breve?

Gabriel Thomaz: Gosto muito dos Gatunos, Pedrinho Grana, a melhor banda do Brasil da atualidade é de lá, o Galinha Preta.

Rock Noize: Vocês acham que a situação atual do país prejudica o rock nacional? Mesmo com tantos festivais, inclusive internacionais, casas de shows. O público está mais controlado no sentido de priorizar outras coisas ao invés de ir em shows? Sentiram algum tipo de mudança nesse sentido nos últimos anos?

Gabriel Thomaz: Nossa… acho que a galera vai muito mais a shows de rock hoje em dia.

Rock Noize: Muito obrigado, moçada! 

Gabriel Thomaz: Eu que agradeço! Abração!

 

Foto: Divulgação/Internet

Comentários