A Monstro Discos completa 20 anos de rock e a gente é que agradece


20anos_08Há mais ou menos uns dois anos a gente começava a receber uns releases de bandas de uma tal (com todo repeito) de Monstro Discos assim como recebíamos de muitas assessorias e gravadoras Brasil afora. Mas o que chamou a atenção foi a qualidade dos artistas e bandas e o profissionalismo com que eles tratavam o assunto.

Mas esse é só o começo da história da Monstro com o Rock Noize, já a história do selo data de 1998, quando este site não sonhava em existir. Naquele ano saia o compacto em vinil azul “Sex, Rockets and Filth Songs”, dos Mechanics, e a Mostro Discos dava os primeiros passos em sua trajetória.

É engraçado pensar que uma gravadora sobreviveu 20 anos passando por tantos percalços em um mercado que hoje respira por aparelhos. A Mostro é um verdadeiro símbolo de resistência, profissionalismo (de novo!) e amor ao rock no Brasil.

Até hoje foram mais de 180 títulos lançados – entre CDs, compactos em vinil (“os mais chiques do Brasil”), fitas K7, VHS, DVDs e álbuns 100% digitais com artistas de norte a sul do Brasil, não se restringindo apenas à Goiânia e o centro-oeste do país.

Neste ponto me rezo no direito de continuar a história do primeiro parágrafo deste texto. Com o passar dos últimos dois anos fomos recebendo releases e informações de bandas tão incríveis e artistas tão cativantes e publicando com o imenso orgulho de olhar para quem estava fazendo alguma coisa para o tão sucateado rock no Brasil e que hoje consideramos que não é mais parceria, é amizade mesmo.

Uma parceria na base da confiança, sem jabá ou troca de favores e que a gente aqui da casa aprendeu a amar. Foram e são tantos sons bons que recebemos: os já citados Mechanics, Nene Altro, Tati Bassi, Sheena Ye (amo!), Monstros do Ula Ula, Os Gringos, Diablo Motor, Two Wolves e muitos outros.

Os Leos, Razuk e Bigode
Os Leos, Razuk e Bigode

Foram tantos que em dado momento a gente resolveu fazer uns especiais dedicados às bandas da Monstro. Isso sem falar na oportunidade de cobrir um dos festivais que era um sonho particular: o Goiânia Noise Festival na terra de mainha.

Lá pude conhecer pessoalmente quem faz a Monstro Discos e um pouco do trabalho incrível que eles fazem, não apenas para lançar tantas bandas boas, mas para organizar um festival de qualidade, muito bem estruturado e com shows um mais foda que o outro. Estar do lado desses caras, de tantos jornalistas renomados, conhecer alguns dos meus artistas favoritos foi um sonho realizado.

O bom de tudo isso é saber que os caras continuam na ativa, sem desistir ou esmorecer e que tantos artistas ainda estão do lado deles e vivendo essa cena, que se não explode mantém a chama acesa muito por causa da Monstro Discos.

Eles continuam trabalhando com muitas bandas e artistas de qualidade e que ao longo de 2018 com certeza vamos embarcar no nosso terceiro ano juntos com muito orgulho. Fica aqui um agradecimento especial aos queridos Leo Razuk e Leo Bigode e ao célebre (ele é tipo celebridade mesmo) Tosh Kimura por nos permitir fazer parte dessa festa, dessa história.

Digo-lhes que continuarei vestindo a camisa da Monstro – literalmente, por que eu tenho uma – até dizer chega e pegar outra e mais outra e mais outra. Parabéns Monstro Discos, seguimos em frente porque o rock não pode parar e muito menos morrer.

 

 

Fotos: Monstro Discos/Divulgação

Comentários