Mulher-Maravilha 2 será o primeiro filme a adotar as novas diretrizes antiassédio

wonder-woman-poster_612x380Se o primeiro filme da Mulher-Maravilha já quebrou barreiras em Hollywood por ser dirigido e protagonizado por mulheres – Patty Jenkins e Gal Gadot, respectivamente – a continuação tem tudo para quebrar mais ainda.

Durante o PGA Awards – prêmio do Sindicato de Produtores – que aconteceu na noite deste domingo, 21, foi revelado que o longa será o primeiro a adotar as novas diretrizes antiassédio que serão colocadas as produções norte-americanas a partir de então.

As recomendações foram baseadas nos inúmeros casos relatados desde o segundo semestre do ano passado, principalmente por mulheres, e seguindo o movimento #MeToo.

De acordo com o PGA, esse comportamento “não deve ser focado em simplesmente evitar a responsabilidade legal, mas também ser parte de uma cultura de respeito que começa de cima”. E mais: “As novas diretrizes servem para que os produtores e os membros da equipe reconheçam e combatam o assédio sexual dentro e fora do set”.

Os presidentes do PGA também disseram que os produtores devem manter linha dura sobre os casos de assédio e abuso e buscar urgentemente orientações de como proceder nesses casos. Uma recomendação do documento é que duas pessoas, de sexos diferentes, sejam contratadas para analisar os comportamentos dentro dos sets de filmagem e ajudar orientando a todos sobre o assunto.

Mulher-Maravilha 2 terá a volta da dupla Jenkins/Gadot e tem previsão de estreia para o dia 13 de dezembro de 2019. O longa deve se adiantar no tempo e se passar durante o fim da Guerra Fria entre Estados Unidos e União Soviética.

Leia o comunicado antiassédio completo (em inglês) do PGA neste link. Aproveite para conferir mais notícias sobre o filme aqui.

 

 

Foto: Divulgação/Internet

Comentários