Nirvana: 20 anos de ‘Nevermind’

O dia 24 de setembro de 1991 marcaria para sempre a história do rock and roll e por que não dizer da música. Naquele dia, um trio, composto por Kurt Cobain na guitarra e nos vocais, Kirst Novoselic no baixo e Dave Grohl na bateria, vindos de Seattle, com suas camisas xadrez e calças rasgadas marcaria toda uma geração. O Nirvana lançava seu 2º disco de estúdio, o aclamado ‘Nevermind‘. O álbum, gravado entre maio e junho daquele ano nos Sound City Studios, Califónia, foi produzido por Butch Vig, que em recente entrevista afirmou: “Estava arrumando o som da bateria e da guitarra quando de repente aparecia Kurt e dizia: tire todo esse agudo, quero que soe mais como Black Sabbath. Era um pé no saco”. E também: “Em um momento ele estava interessado e, de repente, se desligava, ficava sentado em um canto e depois desaparecia”. Tudo isso para mostrar como foram complicadas as gravações do disco. Mas pelo menos para os fãs, os não fãs e a critica valeu a pena. Crítica esta que se rendeu a ‘Nevermind’, assim como quase todos os roqueiros da época. O Nirvana conseguia fazer finalmente voltar a cena um rock and roll puro, rasgado e simples em meio a um mar de pop que se instaurava no mercado fonográfico, com o inicios das “boybands”, cantoras e cantores pop explodindo a torto e a direita. O Disco começa com uma patada composta por Kurt, Smells like teen spirit abre o álbum de maneira avassaladora e destrói, no bom sentido, os ouvidos de quem o escuta. Um clássico na história da banda, do rock e da música como um todo. Músicas como On A Plain, Come as you are e Lithium estouraram mundo a fora e o grunge ganhava novas proporções. Esse foi o primeiro disco com Dave Grohl na bateria. O antigo baterista, Chad Channing, havia saído da banda no ano anterior e gravou apenas o primeiro disco, ‘Bleach’, de 1989. Bandas como Pearl Jam, Alice In Chains e Soundgarden, já eram conhecidas do movimento grunge de Seattle. Álbuns como ‘Ten’, do Pearl Jam e ‘Dirt’ do Alice In Chains mantiveram as coisas nos eixos depois do disco do Nirvana que veio para completar e revolucionar todo esse movimento. Até hoje, o segundo disco da banda vendeu cerca de 26 milhões de cópias no mundo todo e entrou para a lista dos ‘200 álbuns definitivos da história do rock’ pelo conceituado Rock And Roll Hall Of Fame. E o que dizer da capa de ‘Nevermind’ ? Tão emblemática quanto seu conteúdo, a capa retrata um bebê, Spencer Elden, submerso em uma piscina nadando atrás de uma nota de 1 dolar presa a um anzol. A revista Rolling Stone a elegeu como a melhor capa de todos os tempos. Recentemente o canal de TV VH1 elegeu o disco como o segundo melhor da história, atrás apenas de ‘Revolver’, de ninguém menos que os Beatles. O disco é composto por 12 faixas, todas elas escritas por Kurt Cobain, talvez esse toque ‘pessoal’ do frontman também pode ser um dos fatores responsáveis pelo sucesso do álbum, que ficaria definitivamente eternizado após sua morte, 3 anos depois. Esse ano, como você pode ver aqui, foram lançadas edições especiais do disco, Kirst Novoselic promoveu um show tributo aos 20 anos do álbum com a participação de diversas bandas de Seattle, que provavelmente começaram ouvindo ‘Nevermind’ e as bandas citadas acima. A MTV Brasil fará uma programação especial de 14 horas neste final de semana para comemorar esses 20 anos. Confira os horários e o que vai rolar neste endereço. Fica aqui nosso registro a um dos maiores álbuns da história do rock, incomparável, marcante e que consolidou e abriu mais um movimento, dentre tantos que já vieram e morreram dentro do rock.

 

Nirvana – Smells Like Teen Spirit

httpv://www.youtube.com/watch?v=hTWKbfoikeg&ob=av3e

 

Nirvana – On A Plain (Seattle 1991)

httpv://www.youtube.com/watch?v=eRmXh_OIwHU

 

Nirvana – Lithium (Live At Reading Festival)

httpv://www.youtube.com/watch?v=V7Wma-2gXq8

 

Nirvana – Come As You Are (MTV Unplugged)

httpv://www.youtube.com/watch?v=cf69pGBRlHw

 

Também publicado na Galeria do Rock

Texto: Marcelo Coleto

Comentários