Pela primeira vez em Porto Alegre, Apocalyptica celebra 20 anos do álbum “Plays Metallica By Four Cellos”

1Na última terça-feira (21.11), o Bar Opinião recebeu a banda de metal sinfônico Apocalyptica, que estreou em Porto Alegre para comemorar os 20 anos do álbum “Plays Metallica by Four Cellos” (1996). Com um repertório recheado de 18 músicas, os finlandeses realizaram um show completamente instrumental, para quatro violoncelos e bateria – com aproximadamente 2 horas de duração, revisitando clássicos do ícone do Thrash Metal.

Pouco após as 21h, uma escuridão tomou conta do palco, quando então o quarteto entrou para se posicionar em seus bancos. Um jogo de contraluz exibia somente a silhueta dos violoncelistas, que começam a tocar as primeiras notas de “Enter Sandman”.

Quando as luzes se acenderam todos puderam ver de perto a beleza daqueles robustos instrumentos de cordas e seus pedais de efeitos. Eicca foi o primeiro  a falar e a convidar todos os presentes a serem os vocalistas da noite, e assim acompanharem a banda nas interpretações.

4

Para esta tour o quarteto se apresentou com a formação atual, com Eicca Toppinen, Perttu Kivilaasko e Paavo Lötjönen , trazendo de volta o ex-membro e co-fundador Antero Manninen, que deixou o grupo em 1999 para ingressar na Orquestra Filarmônica de Helsinki.

O show foi dividido em duas partes, sendo que na primeira eles executaram álbum de estreia na íntegra de forma acústica, e na segunda, interpretam outras músicas do Metallica acompanhados por uma bateria.

Os fãs, que no geral vestiam camisas de diversas bandas finlandesas como Nightwish, Stratovarius, HIM  (já outros com estampas do Metallica), cantavam juntos e agitavam dando um incrível retorno caloroso aos artistas. Nas músicas mais lentas, como “The Unforgiven”, todos pareciam transportados para um concerto de música clássica, pois faziam silêncio para observar cada movimento dos arcos.

Descrevendo a paisagem sonora para os mais eruditos e aos adeptos ao subgênero “metal sinfônico, podemos dizer que o evento foi uma mistura de luz, escuridão e teatralidade. “The Unforgiven”, particularmente, com os pizzicatos iniciais (beliscadas nas cordas) o público vibrou devido a mistura de sentimentos e gritos que vieram à tona.

ScreenHunter_24 Nov

Após um breve intervalo, o grupo retornou ao palco para interpretar outras músicas do Metallica, algumas presentes nos álbuns  “Inquisition Symphony (1998)” e “Cult” (2000), gravados pelos finlandeses. Para colocar ainda mais energia na performance, entra o baterista Mikko Sirén –  que faz parte do grupo desde 2005.

E antes de sair para o bis, Eicca explica que gravaram recentemente uma versão remasterizada do “Plays Metallica by Four Cellos”, adicionando 3 novas músicas que não tinham condições de tocar nos anos 90. E brincou que ainda hoje não conseguem! Ele então diz: “It’s time to charge our Battery”, interpretando na sequência “Battery” e “Seek & Destroy”.

Perttu Kivilaakso assumiu o único microfone do palco para agradecer a presença de todos e dizer que depois de tantos anos, finalmente, conseguiram se apresentar em Porto Alegre. Acrescentou ainda que eles pretendem voltar o mais breve possível, para, quem sabe, interpretar músicas do Sepultura.

No entanto, diante da espontaneidade e carisma do grupo, o público saiu torcendo para que os finlandeses retornem à Porto Alegre a fim de mostrar um repertório mais amplo, e que possa contemplar um pouco de cada experiência de trabalho que os caras possuem ao longo da carreira (inclusive com o vocalista Franky Perez – de um recente álbum “Shadowmaker, de 2015).

5

Nos momentos finais, o baterista (com seu tarro de leite na percussão) surgiu vestindo a camiseta da seleção brasileira de futebol, durante o último som “One”, recebendo muitos aplausos.

Em 1996, o grupo finlandês até então era completamente desconhecido quando gravou o álbum em questão, apenas com violoncelos. Os músicos formados pela Academia Sibelius, de Helsinki, jamais imaginariam as proporções que o álbum tomaria. Desde o começo da carreira, o grupo gravou músicas próprias, às vezes instrumentais, às vezes com cantores convidados, e agora celebram um importante marco na carreira, completando uma turnê que já dura dois anos.

No Brasil, o grupo ainda se apresenta em Belo Horizonte, Curitiba e São Paulo no final da semana. E segue para Argentina e Uruguai com 7 datas na primeira semana de dezembro.

Setlist Apocalyptica em Porto Alegre:

01.Enter Sandman
02.Master of Puppets
03.Harvester of Sorrow
04.The Unforgiven
05.Sad but True
06.Creeping Death
07.Wherever I May Roam
08.Welcome Home (Sanitarium)

With Drums
09.Fade to Black
10.For Whom the Bell Tolls
11.Fight Fire With Fire
12.Until It Sleeps
13.Orion
14.Escape
15.Battery
16.Seek & Destroy

Encore
17.Nothing Else Matters
18.One

Texto e fotos por: Daiane Costa e Day Montenegro (veja mais fotos aqui)

Editor do site: Marcelo Coleto

Realização: Abstratti Produtora

Comentários