Post dos leitores: Los Hermanos na Arena Anhembi

Antes mesmo de chegar na Arena Anhembi alguém disse no carro que esse seria o show com maior público pagante da história da banda (!!!).

Já dava pra imaginar aquele mar de gente tentando matar um pouquinho da saudade de ver os barbudos no palco.

Fila pro estacionamento, pra entrar na Arena, pra comprar bebida.

Tinha mesmo muita gente! E fazia muito frio. Mas ninguém parecia se importar com nada disso (eu muito menos!)

Apenas 4 minutos depois do horário marcado, às 23:04, eis que os primeiros acordes da já tradicional música de abertura, O Vencedor, levaram aquela multidão a loucura! E o primeiro trecho foi todo cantado (gritado, na verdade) pela platéia.

Logo na sequência, Retrato pra Iaiá, Além do que se vê e Todo carnaval tem seu fim. Pronto, um público antigo e fiel, que sabe todas as letras de cor e canta com a alma, estava entregue!

Pouco antes de começarem a quinta música, O Vento, Marcelo Camelo deu um gole numa cerveja e brindou: “Saúde, saúde!” Ah, Camelo…<3

Cadê teu suín? e Samba a dois fizeram a galera dançar, no estilo “dancinhas do Amarante”. O ruivo, aliás, estava quase sem voz e nada “serelepe”, como é de costume. Mas nada que o deixasse menos incrível cantando Condicional, que é uma das minhas músicas preferidas, a propósito.

Azedume em coro, Pois é e Morena embalando casais… Estava lindo! Uma hora de show e todo mundo querendo mais três, no mínimo! Um par fez todo mundo cantarolar os metais da música, coisa bonita de ver e ouvir. Uma garoa foi bem providencial durante Conversa de botas batidas e Sentimental, pra confundir com as lágrimas, sabe como é.

Ainda rolou as tão carregadas de rancor Quem sabe e Pierrot que fazem a gente lembrar histórias e pessoas. Los Hermanos é bem isso mesmo, faz parte da história de muitos que estavam ali, até ouvi essa frase: “Los é uma vida, né?” É!

IMG-20151025-WA0003
Arena Anhembi lotada

Esse foi o meu 12º (sim, décimo segundo!) show do Los Hermanos e o primeiro que vi num espaço aberto e já que quero matar quem teve a ideia do tal show extra no Espaço das Américas, que na minha humilde opinião deveria ter sido escolhido para o show principal! A acústica é melhor, a visão do palco é melhor… Na Arena Anhembi foi lindo mas tenho inveja de vocês que compraram ingressos pra amanhã (hoje), confesso. Hunf!

Voltando pra casa pensei no quanto é incrível ver que mesmo depois de tanto tempo parados (embora tenham projetos paralelos) a banda conseguiu se perpetuar como uma das bandas mais relevantes do rock nacional dos últimos anos. Nem adianta chorar, me diz que outra banda com quase 20 anos de estrada, vivendo um hiato há 8, consegue reunir 30 mil pessoas a céu aberto numa noite de 16ºC? Heim? Então! (Pronto, cabô momento los hermaníaca).

Inclusive essa foi uma das poucas (pra não dizer quase nenhuma) coisas que Camelo falou entre um música e outra: que esse era o show com maior público pagante da história da banda! Amarante emendou: “quem tá vindo pela primeira vez?!” E só. Faltou interação, mas a gente nem liga, a gente perdoa e principalmente: a gente espera! Espera que esse hiato acabe, ou que pelo menos as turnês de reunião não demorem tanto! =)

Los Hermanos
Los Hermanos

“Os dias que eu me vejo só… São dias que eu me encontro mais… E mesmo assim eu sei também… Que existe alguém pra me libertar.”

Setlist:

O vencedor

Retrato pra Iaiá

Alem do que se vê

Todo carnaval tem seu fim

O vento

Cadê teu suín?

Samba a dois

Condicional

Azedume

Pois é

Morena

Um par

O Velho e o Moço

A outra

Paqueta

Sentimental

Primeiro andar

Tenha dó

Descoberta

Deixa o verão

De onde vem a calma

Conversa de botas batidas

Último romance

A flor

….

Adeus você

Anna Júlia

Quem sabe

Pierrot

 

Texto e fotos: Daniella Bozetti

Comentários