Pumpkins United: Porto Alegre recebeu Helloween com dois vocalistas de presente para celebrar o verdadeiro “Dia das Bruxas”

26349679779_2db164ac42_zAs noites de Halloween nunca mais serão as mesmas na capital dos gaúchos. A cidade vem sendo rota de grandes shows nos últimos meses, e desta vez a data ficará marcada pela passagem da histórica “Pumpkins United Tour“, que trouxe a tão sonhada reunião dos vocalistas da lendária banda de power metal, Helloween.

O entrosamento do grupo, o setlist recheado com 23 músicas e a boa estrutura de um palco mais extenso com passarela foram os presentes que os porto-alegrenses receberam na noite de 31 de outubro, no Pepsi On Stage.

É a primeira vez que este encontro de vozes acontece, e para os fãs, foi um momento emocionante com 2 horas e 45 minutos que certamente ficará na memória e será comentado por muitos anos. A turnê trouxe a formação atual da banda, com Michael Weikath (guitarra), Markus Grosskopf (baixo), Andi Deris (nos vocais desde 1993), Sascha Gerstner (guitarra) e Daniel Löble (bateria), junto dos ex-integrantes Kai Hansen (guitarra e vocais de 1984-1989) e Michael Kiske (vocais de 1987-1993).

Pontualmente às 21h as cortinas do palco caíram para dar início ao espetáculo, apresentando então a música “tema” do dia: Halloween. Foram 13 minutos de muita vibração e sintonia dos fãs com Kiske e Deris dividindo os vocais já no começo do show.

38072288316_3d7ff6f734_z

Com um público de aproximadamente 3,5 mil pagantes, composto por metalheads da capital e vindos do interior, lá estavam presentes as gerações de todas as fases da banda. Muita gente estava fantasiada esbanjando alegria e no clima do Dia das Bruxas, entoando juntos os clássicos do grupo alemão que resiste ao tempo. Sem perder o embalo, a banda seguiu com o clássico “Dr. Stein” (Keeper of the Seven Keys Part 2), agitando ainda mais o público que estava delirando com os músicos que “desfilavam” pela passarela avançada do palco, chegando bem perto dos fãs.

Logo após uma animação dos personagens Doc e Seth aparecia no telão para apresentar a próxima música. Eles foram desenhados pelo brasileiro Marcos Moura, responsável pelas abóboras dos encartes do Helloween nos álbuns “7 Sinners (2010)”, “Straight Out Of Hell (2013)” e “My God-Given Right (2015)”.

Em seguida foi a vez de Kiske assumir os vocais em I’m Alive (Keeper of the Seven Keys Part 1), superando os problemas de saúde e mostrando que ainda tem muita técnica vocal para alcançar as notas mais altas e encarar a maratona de shows que vem ocorrendo.

26350021169_106ef5e5d6_z

Para a emoção da geração mais nova, Andi Deris retorna ao palco para cantar e falar um pouco em português com a galera, arriscando a palavra “voar” para anunciar “If I Could Fly”, do álbum “The Dark Ride” (2000) e Are You Metal?”, de “7 Sinners” (2010) –  transformando o Pepsi On Stage num caldeirão de metaleiros fervorosos. Kiske, que estava pela primeira vez na cidade, continuou com “Kids Of Century” (Single de 1991, do álbum Pink Bubbles Go Ape), sendo muito ovacionado pelos gaúchos ali presentes.

Deris, que já é praticamente de casa, colocou mais peso na noite com “Where The Sinners Go” (7 Sinners, de 2010) já seguida da incrível “Perfect Gentleman” (Master of the Rings, de 1994), que foi cantada pelos dois vocalistas com muitos abraços e brincadeiras.

Finalmente, chegou a vez de Kai Hansen assumir os vocais e trazer à tona as raízes da banda, cantando na sequência “Starlight”,  “Ride The Sky”, “Judas” e “Heavy Metal Is The Law”, ou seja, um medley de 4 músicas do álbum “Walls of Jericho” (1985), o qual certamente foi um dos primeiros discos de metal de muitos ali.

26350023799_596220cea6_z

A noite ficou ainda mais emocionante quando os 2 vocalistas se posicionaram na ponta da passarela, ainda mais perto dos fãs, para cantar a balada “Forever and One” (The Time of the Oath, de 1996), acompanhada pelas milhares de lanternas de smartphones. Logo após, seguiram com a belíssima “A Tale That Wasn’t Right” (Keeper of the Seven Keys Part 1, de 1987).

Deris interagia muito com o público, e na sequência brindou com clássicos dos anos 90, como “I Can” (Better Than Raw, de 1998), “Why” (esta acompanhada de Kiske), a poderosa “Sole Survivor” (Master of the Rings, de 1994) e “Power”, cantadas a plenos pulmões por todos os headbangers que já estavam a mais de 2 horas no local . Em seguida, no telão aparecia o ex-baterista da banda, Ingo Schwichtenberg, falecido em 1995, o qual não poderia ser esquecido nessa reunião de integrantes. Ele fazia um solo de bateria, acompanhado em tempo real pelo atual batera Dani Löble, emocionando a muitos, que aplaudiam e gritavam com todas as forças o nome do ex-integrante.

A banda mostrou do início ao fim que estava unida, e transmitia uma energia muito boa para os aficionados que celebravam e torciam para que essa formação continuasse para sempre.

38095091882_1322207c74_z

Antes do primeiro bis, as vozes de Hansen, Deris e Kiske se uniram para cantar “How Many Tears”, outra clássica do álbum “Walls of Jericho”. Já próximo da despedida, no bis o público delirou com Eagle Fly Free, com Kiske – quando muitos cantores e amadores apaixonados pelo vocalista deram sinal de vida e de muita potência vocal lá da plateia.

O que mais presenciamos, no Heavy Metal, são os talentos vocais não só daqueles que estão em cena como também dos fãs que parecem entoar com certo treinamento (em casa) de todos os refrões e com ataque das notas mais agudas! E sem críticas ao vocal de Kiske, a versatilidade e o timbre sensacional de Deris puxaram o hino belíssimo chamado “Keeper Of The Seven Keys”. Na segunda parte do bis, a festa recebeu balões pretos e cor de laranja para um final emocionante com Future World (Kiske) e “I Want Out” (todo mundo!). Era hora de dizer adeus e, agora, imaginar o que ainda pode acontecer de melhor a partir de uma turnê épica…

38095056762_7f38fbf5b6_z

A tour ainda segue até o final de 2018, e os próximos shows neste final de semana acontecem e Buenos Aires (Argentina) e dois dias seguidos em Santiago (Chile).

Setlist:

1. Halloween (Kiske/Deris)

2. Dr. Stein (Kiske/Deris)

3. I’m Alive (Kiske)

4. If I Could Fly (Deris)

5. Are You Metal? (Deris)

6. Kids Of The Century (Kiske)

7. Where The Sinners Go (Deris)

8. Perfect Gentleman (Kiske/Deris)

9. Wall Medley: Starlight/Ride The Sky/Judas /Heavy Metal Is The Law (Hansen)

10. Forever And One (Kiske/Deris)

11. A Tale That Wasn’t Right (Kiske/Deris)

12. I Can (Deris)

13. Dani Löble – Drum Solo

14. Livin’ Ain’t No Crime / A Little Time (Kiske)

15. Why? (Kiske/Deris)

16. Sole Survivor (Deris)

17. Power (Deris)

18. How Many Tears (Kiske/Deris/Hansen)

-BIS I:

19. Invitation

20. Eagle Fly Free (Kiske)

21. Keeper Of The Seven Keys (Kiske/Deris)

– BIS II:

22. Future World (Kiske)

23. I Want Out (Kiske/Deris)

Fotos: Day Montenegro/Rock Noize (veja mais fotos aqui)

Comentários