Resenha: Dimmu Borgir em São Paulo

O Dimmu Borgir é uma daquelas bandas que todo mundo que gosta de metal tem, ao menos, curiosidade de ver ao vivo. Muito disso, ainda que o som não seja dos seus preferidos, se dá por conta da teatralidade do grupo e ao que tudo indicava era por isso que a maioria do público esperava na última sexta-feira, 9, em São Paulo.

O público lotou o Tropical Butantã para conferir a única apresentação da banda norueguesa no país com a turnê do disco “Eonian”. Mas o que se viu foi uma apresentação tão fria quando o país escandinavo, sem aquele apelo visual que tanto se esperava.

Logo que o show começou era possível ouvir muitas reclamações quanto à qualidade do som no fundo do Tropical Butantã, que realmente estava ruim e pouco se ouvia o vocal e há quem diga que mesmo assim ainda estava melhor que quando mais próximo do palco. O mesmo pode-se dizer das luzes, em sua maioria vermelhas e azuis e somadas à fumaça, pouco se via do fundo do palco.

Foram seis longos anos desde a última passagem do grupo pelo Brasil e o público não decepcionou, mostrando que o black metal ainda continua muito ativo aqui pelos lados da terrinha do samba. Justamente por conta desse tempo e a evolução da tecnologia o que se viu já na abertura da apresentação foi um mar de celulares em busca das melhores fotos e filmagens.

Como em vários shows da turnê o Dimmu Borgir abriu com The Unveiling e Interdimensional Summit, passando por sons como The Serpentine Offering e Gateways. O show foi rápido, com pouco mais de uma hora e facilitou a ida pra casa da plateia.

O show não foi lá tão animado assim e o público saiu da mesma forma. Fato é que o black metal ainda tem muitos fãs e o Brasil continua sendo um bom mercado para futuros shows do estilo. Aproveite para conferir mais fotos neste link.

 

Fotos: Nicollas Loos/Rock Noize

Comentários