Resenha: Maximus Festival

Amanda CostaNesta quarta-feira, 7, o Autódromo de Interlagos em São Paulo recebeu mais um grande evento de música. O Maximus Festival foi produzido na medida, uma mega estrutura pensada para o conforto do público, com palcos próximos, diversas opções para pegar bebida e comida, e diversão além da música.

Foram 15 bandas: Ego Kill Talent, Woslom, Far From Alaska, Project46, Steve N’ Seagulls, RavenEye, Shinedown, Black Stone Cherry, Hollywood Undead, Hellyeah, Halestorm, Bullet For My Valentine, Disturbed, Marilyn Manson e Rammstein.

As mais esperadas foram as cinco últimas, principalmente as duas que fecharam o festival, mas as outras apresentaram grandes performances como Shinedown e Black Stone Cherry. A primeira tocou por muito pouco tempo e teve alguns problemas no som, [errata]que prejudicou bastante sua performance segundo quem estava próximo ao palco.

Mas voltando a falar da estrutura, o Maximus alinhou seus dois primeiros palcos um ao lado do outro e colocou lá os principais shows do evento. O terceiro palco não estava longe deles, o que facilitava e muito o trânsito das pessoas que se dividiam para ver shows nos três.

Quem vai aos mega eventos musicais que usam praticamente todo o Autódromo de Interlagos sabe a dificuldade que é de se locomover entre um palco e outro, não só pela distância, mas pela quantidade de pessoas maior do que deveria.

Outra atração muito legal que os fãs puderam curtir – e muitos deles curtiram -, foi o RockN’XTREME da Sky, que conforme o festival ia enchendo, ele também ia e o público se divertiu bastante. Essas atrações são sempre bem bacana nos festivais, principalmente quando vêm de uma marca que a gente sabe que apoia a música, no caso, o rock.

Quem conseguiu assistir aos shows do Lounge da Sky também se divertiu bastante. Uma cabine de fotos, bebida e comida à vontade, cartazes no estilo oldschool, boas acomodações, mesa de sinuca e muito mais coisas. Pra quem quer curtir um festival com mais conforto vale bastante à pena.

Inclusive vocês podem conferir fotos, vídeos e muito mais nas redes sociais com #MaximusNaSKY.

Halestorm, Bullet For My Valentine e Disturbed

Voltando a falar dos shows, a Halestorm, comandada por sua vocalista e guitarrista Lzzy Hale, mandou ver em músicas do seu novo disco, “Into The Wild Life”, e seus maiores sucessos como Love Bites (So Do I), que abriu o show, I Miss The Misery e Freak Like Me.

O renovado Bullet For My Valentine, depois do lançamento do bom “Venom” manteve a pegada e tocou faixas que revisitaram sua carreira como a famosa Tears Don’t Fall. Quem estava no Maximus e não conhecia a banda, saiu de lá com uma boa impressão.

Disturbed - Amanda Costa

Já era noite quando o Disturbed subiu ao palco e deu para perceber que o grupo era um dos mais esperados e que sua escalação antes dos headliners foi perfeita. Eles passaram por seus maiores sucessos, como Stricken, covers e músicas do ótimo “Immortalized”, lançado mais recentemente, como The Light.

Marilyn Manson e Rammstein

As duas maiores atrações do Maximus Festival justificaram a espera de anos do publico brasileiro para vê-los. Marilyn Manson não passava por aqui há 10 anos e desde então já lançou quatro discos. O Rammstein veio pela última vez em 2010 e nos últimos anos têm feito shows esporádicos, até que nos últimos meses acertou sua volta definitiva, incluindo a gravação de um novo álbum.

Falando em Manson, já beirando os 50 anos e com quase 30 de carreira, o cantor não deixou por menos e fez uma apresentação digna dos áureos tempos com direito até a cover de David Bowie. mObscene, The Beautiful People e tudo muito performático, deixaram os fãs bem satisfeitos. Vale dizer que muitos fãs do cara estavam trajados como ele, com direito até a maquiagem. Bem bacana!

Marilyn Manson - Amanda Costa

Till Lindemann, o carismático vocalista do Rammstein, já subiu ao palco pedindo que o público desligasse os celulares e não filmasse o show, apenas curtissem.

Com tudo milimetricamente planejado, o show do Rammstein é um espetáculo à parte. Fogos de artifício, chamas, sangue e tudo mais que temos direito. Du Hast, o maior single do grupo alemão, foi cantado a plenos pulmões pelos fãs que dominaram o Autódromo com camisetas do grupo.

Parece que o tempo fez bem ao Marilyn Manson e ao Rammstein e como já era esperado, ambos fizeram os melhores shows do Maximus Festival 2016. Uma boa estrutura, diversão extra para o público, bandas bacanas durante o dia e grandes atrações foram a combinação perfeita.

Vale lembrar e se programar: 20 de maio de 2017 acontece a segunda edição do Maximus Festival, que se mantiver as coisas como foram nesta edição, tem tudo para se firmar no calendário de shows e festivais dos próximos anos.

Rammstein - Amanda Costa

O Rock Noize agradece a organização do festival que nos credenciou e a Sky pela oportunidade de podemos curtir juntos!

 

Fotos cedidas gentilmente pela amiga Amanda Costa.

Comentários