Resenha: Project46 lança seu melhor álbum com show insano em São Paulo

24774704_1785345961499558_8862239108702837078_nNeste domingo, 3, o Project46 fez o show de lançamento do seu novo álbum de estúdio com o show de encerramento do 46Fest III no Tropical Butantã em São Paulo. Vale lembrar que o festival tem a curadoria e organização da própria banda.

Pouco depois das 21h Caio, Betto, Vini, Baffo e Jean subiram ao palco e saudaram os fãs que encheram a casa para conferir não apenas as novas músicas, mas também as bem conhecidas vindas dos discos anteriores.

O clima era de metal total com camisetas pretas em quase sua totalidade, que iam desde Cannibal Corpse até Limp Bizkit, mostrando como o grupo transita entre fãs de inúmeras vertentes do tradicional estilo. O público quase em sua totalidade era composto por pessoas de 20 e poucos anos, mas era possível ver uma galera um tanto mais velha.

O show em si mantém a visceralidade do Project46 com riffs pesados, bumbo duplo, baixo alto e voz gutural e limpa. Tudo que estamos acostumados. Algo a se falar – e que confesso, não tinha notado antes – é a segurança do quinteto no palco.

24301120_1784974801536674_292131366957082029_n

Ainda que não tenha completado 10 anos de existência e tenha acabado de lançar o seu, apenas, terceiro álbum, “TR3S” (ouça aqui), a postura é de quem tem muitos mais anos do que isso. A plateia cumprindo as ordens do vocalista Caio é uma prova disso. Hora a pancadaria do moshpit, hora batendo palmas, hora cantando partes da música com os outros integrantes.

Existem diversas bandas boas e novas (de 10 anos pra cá) do metal nacional, mas ao que tudo indica a responsabilidade de capitanear essa onda é do Project46. Não à toa o grupo já se apresentou no Maquinaria chileno e por aqui em festivais como Monsters of Rock e Rock In Rio.

Quase uma década é pouco, mas os feitos são muitos. Principalmente em um estilo que cada vez mais está restrito aos festivais mais focados e às casas menores, mas que ainda vive. Obviamente que ganha uma sobrevida com o P46 e os fãs que prestigiaram o show em um domingo de chuviscos na capital paulista, algo que normalmente fica restrito aos nomes internacionais mais famosos quando vem pra cá.

O Project46 lançou seu novo e melhor álbum e se despediu de 2017 com um show que entra na lista de melhores do ano do metal nacional. Ao que parece 2018 pode – e deve ser – o ANO dos caras e se tudo der certo, não apenas em terras brasileiras.

24301454_1785345654832922_6487359733058620036_n

É ótimo ver que as novas gerações têm uma referência e que esta chama a atenção de alguns dos fãs mais true, que provavelmente viveram a mesma coisa, em uma época totalmente diferente e de menos informação e compartilhamentos, com o Sepultura, por exemplo.

Se as novas gerações se manterem fieis como as antigas se mantém, elas já têm o seu Sepultura, que atende pelo nome de Project46.

Fotos 1 e 3: Camila Cara/Divulgação

Foto 2: Denis Ono/Divulgação

Veja mais fotos da Camila e do Denis neste link.

Comentários