Review: Red Hot Chilli Peppers – I’m with you

 

1.       Monarchy of Roses

O disco começa animado, uma música que causa boa impressão e já dá para notar a diferença de sonoridade de Josh Klinghoffer para o antigo guitarrista John Frusciante.

2.       Factory of Faith

Mostra a boa forma do baixista Flea e a sincronia com o baterista Chad Smith, os dois levam quase toda a música. Uma música legal mas não chega a empolgar.

3.       Brenda’s Death Song

Balada que começa com voz e violão e com os segundos passando fica mais pesada. A música mais legal do disco até agora, pode muito bem ser o próximo single.

4.       Ethiopia

Aqui Josh se aproxima mais do estilo de Frusciante e mais uma vez Flea mostra sua grande capacidade. Fora isso nada demais.

5.       Annie Wants a Baby

Flea, de novo ele. Ótima introdução de baixo. Uma boa música, instrumentos mais bem trabalhados que as anteriores e o vocal também, Kieds canta de um jeito mais suave, mais tranquilo.

6.       Look around

Mais ao estilo ‘Red Hot’, uma canção mais funkeada e um refrão digamos, meio dançante, no bom sentido. Uma música muito boa, parecem ter voltado um pouco ao passado recente.

7.       The Adventures Of Rain Dance Maggie

Primeiro single desse novo trabalho. Confesso que não me empolguei a principio, mas escutando com cuidado você acaba gostando dessa música.

8.       Did I Let You Kown

Uma batida que não me é estranha. Um toque latino para dançar. Os músicos explorando uma sonoridade e um ritmo diferente nessa música.

9.       Goodbye Hooray

 Um pouco mais pesada que as anteriores. Um grande solo de baixo. Ao que parece até aqui, Flea dá o ton e a pegada do disco.

10.   Happiness Love Company

Introdução no piano e uma bateria que parece militar. Depois disso a música vira uma ‘baladinha feliz’ sem deixar o piado e a bateria de lado. Se o intuito era que ficássemos felizes ao ouvir essa faixa, conseguiram.

11.   Police Station

Ao que parece as músicas mais calmas desse disco são as melhores. Com essa não é diferente, apesar do refrão um pouco mais agitado. Tem umas partes viajantes bem legais. Ela me parece até agora a canção mais marcante do disco.

12.   Even You Brutus ?

Abusando do piano, no bom sentido. Kieds e um ‘gritinho’ desnecessário durante toda a música.

13.   Meet Me At The Corner

Lembra que eu disse que aparentemente as músicas mais calmas são as mais legais desse disco ? Escutando essa faixa continuo pensando a mesma coisa. Acho que a voz de Anthony Kieds soa melhor mais calma.

14.   Dance, dance, dance

Fecha o disco de uma maneira animada deixando uma boa impressão desse novo trabalho do Red Hot Chilli Peppers.

Resumo:

Assim como não esperei muita coisa de ‘Stadium Arcadium’ não estava esperando de ‘I’m with you’ e acredito que não tenha me decepcionado. O disco, assim como seu antecessor, não é ruim, mas está longe de ser um ‘One Hot Minute’ ou até um ‘Californication’. Bom, comparações a parte, realmente acredito que as músicas mais tranquilas desse disco foram as que se saíram melhores. A voz de Anthony Kieds, hoje, me parece mais adequada a esse tipo de música do que as pauladas de antes. É notória a ‘queda’ pelo baixo nesse trabalho. Flea executa com perfeição suas partes nas músicas e até solou em uma delas, coisa rara hoje em dia. Brenda’s Death Song, a 3ª música do disco é um dos destaques, uma voz e violão suave dão o tom no começo dela. O primeiro single de ‘I’m with you’, The Adventures Of Rain Dance Maggie não é de se empolgar, há músicas melhores no álbum, mas vale prestar atenção. Goodbye Hooray é a mais pesada desse disco, Flea sola com seu baixo de 4 cordas e das agitadas é a melhor. Police Station e Meet Me At The Corner são duas músicas tranquilas de se escutar e nos fazem acreditar que as mais calmas do disco são realmente as melhores. O novo trabalho do Red Hot Chilli Peppers não é um grande álbum, longe disso, é apenas um bom álbum, com boas linhas de baixo, Chad competente como sempre, Kieds quando não abusa dos gritos está bem e podemos sentir a diferença das guitarras de Josh Klinghoffer para as anteriores de John Frusciante. Acredito que pelos 5 anos de intervalo do lançamento do disco anterior para esse, o RHCP poderia ter feito algo melhor. Pela grande banda que é, tinha capacidade para isso.

Nota 6.

Comentários