Sekiro: Shadows Die Twice na Brasil Game Show

A edição 2018 da Brasil Game Show chegou com tudo em seu nono ano no Expo Center Norte. trazendo várias atrações fantásticas e demos de jogos muito esperados pelos fãs como Sekiro: Shadows Die Twice, Resident Evil 2: Remake, Kingdom Hearts 3 e muito mais.

O jogo que eu mais aguardava testar era Sekiro: Shadows Die Twice, desenvolvido pela From Software e distribuído pela Activision. A From Software tem ganhado muito espaço no mercado desde sua obra prima Dark Souls, que acabou originando um novo estilo no mercado, conhecido por SoulsBorne.

O estilo consiste em uma mistura de RPG de ação com uma dificuldade elevada, levando um grande sentimento de recompensa ao jogador quando ele consegue dominar o ritmo do jogo e enfrentar seus diversos desafios.

Na E3 (Eletronic Entertainment Expo) deste ano teríamos o anúncio de um novo jogo da empresa e muito se especulava sobre o jogo ser mais um Soulsborne, talvez um Bloodborne 2, mas não um novo Dark Souls. Hidetaka Miyazaki já havia nos alertado que não haveria uma sequência tão cedo do título.

Foi então que fomos apresentados a uma nova IP, Sekiro: Shadow Dies Twice, um jogo de ação e aventura, envolvendo ninjas e prometendo uma dificuldade maior que Dark Souls. Seria essa uma sequência espiritual do falecido Tenchu?

Durante a BGS tive a oportunidade de experimentar a demonstração do jogo no stand da Activision e morrer várias e várias vezes para samurais, criaturas gigantes e um chefe que não consegui derrotar.

O jogo se assemelha no sistema de batalha à Dark Souls, porém, ele tem sua própria identidade. Muitos pensaram que por ter um sistema de ressurreição o jogo seria mais fácil, mas pelo contrário, o jogo faz uso de alguns sistemas (como o sistema de parry) que deixam ele bem difícil, a ressurreição só garante um fluxo melhor para o jogo, deixando-o mais frenético.

Apesar de conseguirmos esquivar, esse não é o foco do jogo e sim o “Parry”, um tipo de bloqueio com espada, ele funciona com o choque de dois ataques ao mesmo tempo, um movimento muito visto durante filmes de samurais.

Para conseguir acertar um parry, você precisa pegar o ritmo do oponente e apertar o botão simultâneo ao ataque do mesmo, o que gerará um contador em cima da cabeça do inimigo que após uma sequência de bloqueios bem sucedidos, o contador se completará e a guarda do oponente será quebrada criando uma abertura para uma finalização brutal.

Outro ponto forte do Sekiro é sua parte de movimentação furtiva, que nos remete muito aos jogos do Tenchu. Nós podemos nos abaixar, escorar e pendurar em paredes para matar inimigos desprevenidos com um único ataque letal.

Um item que ajudar muito nesse aspecto, é seu gancho, onde é possível se movimentar rapidamente para cima, pelo ar e desferir ataques letais aéreos, mas, o gancho pode ser usado somente em pontos chave, não é livre como um homem aranha.

Pelo o que foi mostrado na demo, o jogo explora muitos aspectos de Dark Souls, revive e aprimora outros pontos de Tenchu e traz novas mecânicas a serem exploradas. Como de costume a From Software caprichou muito na diversidade de inimigos e em sua qualidade de inteligência artificial.

Sekiro: Shadows Die Twice definitivamente não é um novo Soulsborne e nem uma evolução da série, mas sim um novo jogo com identidade própria que irá agradar todos os fãs do gênero.

Foto: Divulgação/Internet

Comentários