Sepultura na Audio: foi união, foi metal, foi resistência

Sabe aquela máxima do “juntos somos mais fortes”? Foi justamente isso que vimos neste sábado, 27, na Audio em São Paulo. O Sepultura encerrou sua turnê de “Machine Messiah” onde tudo começou e provou mais uma vez que o ditado cabe bem ao metal.

A casa estava cheia e o que se via é característico de um show de metal: camisetas pretas por todos os lados e todo mundo unido por um único propósito. Em tempos de tanta agressão e troca de acusações, a música, em especial o estilo, tem muito que ensinar.

O Sepultura não comemorava apenas o fim de mais um ciclo em sua longa carreira, mas também os 20 anos de um dos grandes e mais carismáticos vocalista do metal mundial: Derrick Green. Quando você assiste Sepultura Endurance entende bem como foi sua entrada na banda e como os outros integrantes lutaram contra gravadora, mídia e público batendo o pé pois lá no fundo já sabiam: Ele é o cara. A prova está aí, 20 anos depois.

Derrick, Paulo, Andreas e o menino prodígio Eloy Casagrande revisitaram todas as fases do grupo e brindaram os fãs com as tradicionais Refuse/Resist, Territory e, é claro, Roots. Além disso também tiveram espaço músicas como Kairos, Against, Troops of Doom e a ótima Machine Messiah.

“Foi “só” metal, puro e simples. Foi união, foi resistência”

Nada de política, nada de esquerda, nada de direita. Foi “só” metal, puro e simples. Foi união, foi resistência. Em uma Audio cheia, na véspera de uma eleição, numa noite chuvosa o hino da hora foi a já citada Refuse/Resist, que teve seu refrão cantado em uníssono.

Há tempos não assistia um show do Sepultura, que nesta noite de sábado, se tornou a banda mais assistida por este que vos fala. Há tempos um show não tinha tanto significado e me sinto com um orgulho imenso de, ainda que indiretamente, fazer parte da história de um dos maiores grupos de metal do mundo e mais orgulho ainda de poder dizer que ele é brasileiro.

A minha história que começou em 1996 com “Roots” e continua até hoje nunca vai acabar. Não vai haver um show do Sepultura que será ruim, que será mais ou menos. Nascemos no mesmo ano e seguiremos juntos até o fim, seja ele qual for.

Eles não tocaram uma das minhas músicas favoritas, mas cabe aqui encerrar essa resenha com um trecho dela:

Rise Up, Rise Up
Resistance Won’t Be Stopped
Rise Up, Rise Up
Sepulnation

 

Setlist Sepultura – Audio 27/10

  1. I Am the Enemy
  2. Phantom Self
  3. Kairos
  4. Territory
  5. Inner Self
  6. Sworn Oath
  7. False
  8. Against
  9. Choke
  10. Boycott
  11. Corrupted
  12. Machine Messiah
  13. Desperate Cry
  14. Refuse/Resist
  15. Arise
  16. Encore:
  17. Troops Of Doom
  18. Slave New World
  19. Resistant Parasites
  20. Ratamahatta
  21. Roots Bloody Roots

Foto: Divulgação/Internet

Comentários