Suor e lágrimas inundam show do Circa Survive em São Paulo

São Paulo viveu um dos finais de semanas mais agitados dos últimos tempos, com diversos eventos rolando quase que simultaneamente, os fãs tiveram que escolher a dedo qual das atrações iriam ver. Dentre esses espetáculos, a banda norte americana, Circa Survive, estava de volta para a turnê de divulgação do disco “The Amulet” lançado em 2017.

Correndo por 5 cidades diferentes, a parada em São Paulo foi o penúltimo show da turnê latino americana, que logo após levará a banda de volta para uma nova série de shows nos Estados Unidos, dessa forma, tanto os fãs quanto os próprios membros da banda estavam ansiosos por esse encontro.

Como nunca havia ido em um show do Circa Survive anteriormente, procurei me informar sobre como era o andamento da apresentação e o grau de “agitação” dos fãs (leia-se, bate cabeça) e em todas as resenhas e comentários, me deparei com verdadeiras declarações de amor e relatos de como as músicas do grupo afetou e transformou a vida dos fiéis seguidores de Anthony Green e sua turma, sendo assim, sabia que não seria nada fácil disputar um espacinho próximo ao palco para conseguir fazer as fotos.

A noite ainda contou com a participação de mais duas bandas nacionais, que abriram os trabalhos para aquecer o público e preparar a noite para as atrações principais, o Wiseman e Bullet Bane. Mas quando as luzes da casa se apagaram as 20:30, o público que já LOTAVA a pista do Fabrique começou a se acotovelar na frente do palco buscando o melhor lugar.

A situação que já era tensa, ficou ainda pior quando a banda entrou e deu início ao verdadeiro ritual da, quando os fãs entraram em um transe sobrenatural, regido pelo maestro Anthony Green, mas que era todo trabalhado pelos demais músicos que magicamente guiavam e executavam as músicas, causando arrepios e abrindo caminho para as lágrimas que corriam dos olhos de absolutamente todos os que cantavam e pulavam sem parar.

Nesse show eu pude testemunhar aquele tipo de fã raro nos dias de hoje, que sabe cantar simplesmente TODAS as músicas da banda.! Mesclando canções dos vários discos, o grupo destilou uma série de clássicos, dando enfoque também no último lançamento já na abertura com “Rites of Investiture” e logo em seguida voltando aos primórdios da carreira com a famigerada “The Difference Between Medicine and Poison Is in the Dose” e “Wish Resign“, essa última do primeiro disco.

Do primeiro disco também veio um dos grandes destaques da noite com “The Great Golden Baby“, que juntamente com “Get Out” e “Living Together” tiraram todo mundo do chão e transformando a noite fria de São Paulo em um grande forno de emoções.

A noite foi selada quando “Descensus“, com direito a efeitos eletrônicos comandados pelo próprio Green, criaram todo um ambiente denso e transcendental, como foi durante todo o show.

O saldo da noite foi: emoção em um espetáculo único, que com certeza deixará lembranças eternas nos que puderam estar presentes.

Set list:

Rites of Investiture

The Difference Between Medicine and Poison Is in the Dose

Wish Resign

Tunnel Vision

Child of the Desert

Get Out

In Fear and Faith

The Great Golden Baby

Lustration

At Night It Gets Worse

Living Together

Act Appalled

Dyed in the Wool

I Felt Free

Bis:

Descensus

 

Para ver mais fotos do show, clique aqui e aqui!

 

 

 

Fotos: Nicollas Loos/Rock Noize

Comentários