O mercado faz mais uma vítima: a Team Rock

download

É meus amigos, lá é como cá. Fato é que o mercado não está fácil e como eu disse na matéria sobre o fechamento do Hangar 110: a culpa é sua, é minha, é de todo mundo. Sério.

Nos últimos anos temos visto inúmeras publicações (revistas, jornais, etc) fechando as portas por falta de vendas, de anunciantes e por aí vai e se mantém com sites capengas na internet, reduzem suas redações a poucos gatos pingados e não investem mais.

Bom, agora todo esse nosso mercado de comunicação fez mais uma vítima: a Team Rock. A empresa é dona de uma webradio e das revistas Classic Rock, Prog e Metal Hammer, as três adquiridas da Future Publishing em 2013 por cerca de 10 milhões de libras.

De acordo com as informações da própria Team Rock, foram demitidas 27 pessoas do escritório de Glasgow, na Escócia, e 46 dos baseados em Londres, um total 73 funcionários. “As medidas da redução de custos foram implementadas e apesar dos melhores esforços dos diretores para buscar investimentos adicionais ou um comprador para o negócio”, disseram em comunicado.

Uma junta de administradores foi formada para organizar as coisas na Team Rock com outros sete funcionários para ajuda-los enquanto algum possível comprador para “o que sobrou” não aparece.

A empresa fechou 2015 com uma dívida de quase 12 milhões de libras e nem os mais de 4 milhões investidos foram suficientes para manter as publicações ativas.

Ainda não se sabe como vão ficar as revista, o site e a rádio, todos grandes fontes de informação nós aqui do Brasil, mas outras informações devem ser divulgadas em breve. Esse é 2016, fazendo mais uma vítima.

Publicações

Num aspecto mais mercadológico da coisa e só para vocês entenderem: hoje o mercado mundial de revistas, principalmente, está em colapso. Vemos muitas publicações bacanas fechando ou reduzindo suas redações para economizar mesmo, tal qual a TR.

Ou você acha que aquela revista X se tornou pocket pra caber no seu bolso ou na sua bolsa? Tsc… tsc… tsc… Inocente. E outra, percebeu que ela ficou pequenininha (ou fina) e o preço não mudou? É filho, todo mundo quer ganhar, mas a gente num pode/consegue pagar 15 pilas numa revista, né?

Isso também vem de uma má administração, tanto no sentido da grana mesmo quanto no sentido dos profissionais, que estão cada vez com uma formação (e vontade de aprender) pior que outrora, que são exigidos ao extremo em cobranças exaustivas por resultados (?) e também por uma mudança total no comportamento do público.

Mas também tem muito site por aí contribuindo E MUITO pra essa merda toda. Matérias porcas, falta de cuidado com a informação, falta de conteúdo relevante, entre outros fatores, isso sem falar numa competiçãozinha egocêntrica e infantil por atenção do público, de marcas, de grandes portais e etc que existe entre blogs e sites por aí, independentes ou não. Raríssimas exceções.

Isso tudo estraga o mercado.

Público

Hoje, com a internet, as redes sociais e o excesso de informações, tudo é muito mais efêmero. É difícil que uma matéria bem produzida, com muito conteúdo, e de qualidade, seja extremamente lida.

O público em sua maioria pouco se importa de onde veio a música ou quem dirigiu o clipe, ele quer apenas ouvir ou ver e por isso também é culpado pela extinção das publicações.

Se você se interessa pela informação, pela qualidade, enfim, vá, leia mais, busque, faça críticas construtivas, produza (porque não?), compartilhe, curta. Não importa qual a publicação, se aqui ou se na Rolling Stone, mas faça a sua parte antes de botar a culpa no resto do mercado.

Publicidade

Outra coisa que está “matando” o mercado da comunicação são os anunciantes. Não importa o quanto se fale em storytelling, branded content e lindas palavras em inglês, o que eles querem também não é conteúdo relevante, é audiência e fim.

A conta é simples: o cliente quer investir cada vez menos (pagar por publicidade) e quer uma revista que entregue cada vez mais (tenha maiores vendas, audiência). Fácil, né? Pouquíssimos deles fazem trabalhos bacanas com conteúdo e ações que envolvam os mesmos, os publishers e o público, e sempre que fazem dá muito certo, é bacana pra todo mundo.

Mas o que a maioria pensa é: O quanto mais eu vou vender por isso? Claro, tem que pensar assim, até certo ponto, pois todo esse mercado mudou e hoje as estratégias são outras, não é mais “anunciou, vendeu”. Mas vai fazer eles entenderem isso…

Ah e quando falamos de anunciantes, não estamos falando de lojas virtuais e sim dos grandes players e marcas do mercado publicitário, que estão cada vez mais longe do conteúdo, dos sites nichados e/ou independentes, ainda que eles bradem e digam ao contrário em suas redes sociais.

Dados

Houve uma queda significativa no número de revistas vendidas, no mundo todo, mas falando especificamente de Brasil, só em 2012 as vendas caíram quase 5% com relação ao ano anterior e se somarmos o período de 2005 a 2012, a queda só em São Paulo soma de 25%.

Só nos últimos dois anos quantas vezes você não leu “revista Y vai ser descontinuada e ficará apenas na internet”? Pois é, se até a Editora Abril se quebrou inteira, quem dirá as outras, quem dirá a Team Rock.

O que aconteceu agora com a Team Rock já tem acontecido por aqui aos baldes nos últimos 10 anos e até que todos mudem a cabeça, os conceitos e a postura vai continuar a acontecer.

Foto: Divulgação/Internet

Comentários