Teatro Mágico no Rio de Janeiro: Resenha + Entrevista

O Teatro Mágico emocionou, ontem (09), os fãs que foram prestigia-los no show de lançamento do disco “Grao do Corpo”, no Rio de Janeiro.

O começo do espetáculo foi com o ex-integrante  Galldino, que apresentou um pouco do seu trabalho solo. Cerca de 40 minutos depois o Teatro Mágico entrou no palco.

No setlist, além do repertório novo, uma apresentação mais pesada e danças mais agressivas. As performances davam maior destaque à musica, que soava um rock mais forte do que o Teatro Mágico dos cds anteriores.

O Cd novo acompanha as mudanças no cenário político social. O novo single, O Sol e a Peneira, é um dos exemplos mais claros do disco, e no show foi uma das mais cantadas pelos fãs. Outro destaque entre as novas fica para a baladinha do CD, Partilha, também cantada em coro pela plateia.

Além disso, no repertório estiveram presentes musicas de todos os cds, que, logicamente, levaram o público ao delírio.

Por falar nele, era nítida o carinho e devoção pela banda: preparam surpresas em várias músicas. Cartazes, bandeiras do Brasil e até bolinhas de sabão!

Com a simpatia de sempre, o frontman e vocalista Anitelli agradecia o carinho dos fãs e não perdeu a animação nas quase duas horas de show. No fim, desceu do palco e cantou bem pertinho do publico.

Com discurso político, incitava ao voto consciente e a luta contra a exploração trabalhista. Agradeceu, inclusive, a presença de Marcelo Freixo, deputado do PSOL, presente na plateia.

Para fechar, o hit O Anjo Mais Velho, que contou com a presença de  Galldino, que voltou ao palco para encerrar a apresentação junto à sua antiga banda. A musica foi cantada tão alto que mal se ouvia a banda, emocionando os músicos, que não paravam de agradecer a presença e a força dos fãs.

foto 3

Assim que o show terminou, conseguimos trocar umas palavrinhas com Anitelli, no backstage.

Ainda no pique do show e enxugando o suor, o líder da trupe disse que ficou encantado com a recepção da plateia nessa nova turnê: “Eles receberam muito bem o show, inclusive com várias surpresas”.

Perguntei sobre o show estar mais agressivo, dando mais ênfase à banda do que à performance das dançarinas – que é uma característica forte do grupo- e Anitelli discordou: “Ah, sério que achou que teve pouca performance? Teve bastante, mas está um pouco mais diferente mesmo. O show continua teatral, mas sim, está mais agressivo.”

“Pois é… E também teve essa mudança do som, mais pesado… como foi isso?”, perguntei.

“É um reflexo do que tem acontecido. Todos esses protestos, a população lutando. Eu não podia fazer um cd alegre, entende? Afinal, não dá pra soltar bolinhas de sabão com pessoas amarradas no poste.”

Anitelli também comentou como ficou feliz com a recepção calorosa carioca, e disse que foi um show muito especial.

foto 2

Para ver todas as fotos do show entre na nossa fanpage.

Comentários