Tudo sobre Justiceiro, nova série da Marvel Studios com o Netflix

punisher-promo-largeEsta sexta-feira, 17, será de maratona para os fãs da Marvel que frequentam o Netflix. Estreia a série do Justiceiro e nós resolvemos fazer um especialzão para servir como prévia. Então se você não está muito animado em maratonar a série, dá um check aí e aproveita o fim de semana prolongado.

Desde sua estreia no Universo da Marvel no Netflix, o Justiceiro acabou por se tornar uma série das mais esperadas. Também pudera, o anti-herói interpretado pelo bom Jon Bernthal virou um dos personagens mais interessantes da Casa das Ideias com o serviço de streaming.

A mídia especializada que já teve a oportunidade de conferir os primeiros episódios é só elogios para o que vem por aí nesta sexta. Ok, exagerei, não foram só elogios, mas as críticas foram, em sua maioria, bacanas com Frank Castle.

A ORIGEM

A origem do personagem data de 1974, quando apareceu em uma HQ do Homem-Aranha do qual seria o antagonista. A profundidade e semelhanças reais com soldados vindos de uma guerra acabou por torna-lo um personagem muito querido, assim trilhando um caminho próprio no Universo da Marvel.

Sua migração para as telas do Netflix vai abordar sua origem como herói de guerra que sofre do famoso stress pós-traumático e como perdeu sua família até se tornar um irascível exterminador de bandidos.

Como vimos na segunda temporada do Demolidor, Frank Castle tem um embate com Matt Murdock pois seus métodos de caçar e matar os vilões são nada ortodoxos no mundo dos heróis. Ele sai matando sem dó nem piedade.

Esse conflito de “fazer o certo do jeito errado” já se mostra latente em Demolidor e deve ser ainda mais trabalhado em sua empreitada solo. A despeito da similaridade histórica com as HQ’s, tudo isso deve cativar o público e já se fala na melhor série da Marvel com o Netflix.

O JUSTICEIRO NOS CINEMAS

Em 2004 os filmes de super-heróis estavam longe do que são hoje e o Justiceiro ganhou as telas com desconfiança. Thomas Jane deu vida ao anti-herói em um filme pra lá de mais ou menos. Nem John Travolta – outrora um bom ator -, foi capaz de salvar a empreitada.

Quatro anos depois veio Justiceiro – Zona de Guerra veio com Ray Stevenson como protagonista e Dominic West como Retalho. Nenhum dos dois filmes deixou saudade, mas eles não foram os primeiros.

Em 1989 a Austrália resolveu levar Frank Castle para os cinemas em um filme que parecia ser assertivo, até porque tinha o bombado – em todos os sentidos -, Dolph Lundgren. O icônico Ivan Drago de Rocky IV não foi capaz de deixar saudades.

Punisher1989-01

PERSONAGENS DA SÉRIE

Não apenas de Jon Bernthal é feito Justiceiro. Deborah Ann Woll traz de volta sua Karen Page que também foi elogiada por sua atuação “mais solta” do que nas outras séries. O Agente Laranja interpretado por Paul Schulze também merece destaque como vilão.

Ben Barnes vai dar vida a Billy Russo, que nos quadrinhos se torna o vilão Retalho. Aqui ele é o melhor amigo do nosso Frank e vivem todo o terror da guerra juntos quando, em seguida, suas vidas tomam caminhos um tanto distintos.

gallery-1475760794-gettyimages-612917272

JOHN BERNTHAL

Se Justiceiro está sendo muito elogiada isso passa, sem dúvida alguma, pela atuação de Jon Bernthal. Um Frank Castle totalmente em conflito consigo – já mostrado em Demolidor, como dissemos acima -, aqui te traz a dúvida entre “ele não pode agir assim” e “ok, vai lá”.

Natural da capital norte-americana, Bernthal teve sua origem como ator nos palcos da tradicional Broadway e como caminho natural de suas atuações, seguiu para o cinema. O horror das guerras e do terrorismo não são novidades para seus personagens.

Ele atuou em As Torres Gêmeas (2006) e no excelente Corações de Ferro (2014), onde atuou ao lado de nomes como Shia Labeouf e Brad Pitt matando nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Jon também atuou em séries como How I Met Your Mother e The Walking Dead.

DIÁLOGO SOBRE ARMAS

Bernthal aproveitou as prévias da série para falar a respeito do armamento, liberado em alguns estados dos Estados Unidos. “Espero que as pessoas entendam a gravidade desse problema [de civis portando armas]. Espero que seja aberto um diálogo verdadeiro sobre o assunto”, disse ele em entrevista recente.

“Espero que seja aberto um diálogo verdadeiro sobre o assunto”

Ele endossou novamente um debate sobre a questão o armamento de civis na Terra do Tio Sam: “Precisamos começar a perceber que há um problema sério e abrir um debate sobre esse assunto. Também precisamos parar de ser rigorosos e inflexíveis em nossas posições políticas”.

POR FIM

A série do Justiceiro tende a ser um amadurecimento dos conflitos internos que pairam até mesmo sobre os heróis. Faz justiça para si ou para os outros? Ações desmedidas? A humanidade que vimos em Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage, Punho de Ferro e Os Defensores será, certamente, mais aprofundada.

A relação humano/herói, a densidade do personagem, conflitos internos e a atuação de Jon Bernthal, além da continuidade do Universo Marvel e Netflix, são os principais chamarizes para uma maratona de Justiceiro neste fim de semana.

Vale dizer que, como praticamente em todas as séries da duplinha, provavelmente Justiceiro vai demorar uns bons 3, 4 episódios para engrenar e finalmente Frank vestir sua caveira. Então paciência com ele por hora.

Ah e isso sem falar – como diria uma sábia -, em muito tiro, porrada e bomba.

 

Fotos: Divulgação/Internet

Comentários