Velhos hits e muita empolgação no show do Metallica em São Paulo

Img_0088

Na noite deste sábado, 22 de março, o Metallica voltou a se apresentar no Estádio do Morumbi em São Paulo depois de 4 anos.

A banda apresentou aos brasileiros músicas escolhidas por eles e também a nova The Lords Of Summer.

Com um “by request” não era de se esperar algo diferente: um repertório cheio de hits e algumas músicas que o grupo não costuma tocar com frequência em seus shows.

Algumas delas foram …And Justice For All e Whiskey In The Jar, esta cover de Thin Lizzy que está no disco “Garage Inc.”, somente de covers.

A banda de abertura, Raven, fez um show para agitar a plateia mas infelizmente sofreu durante toda a apresentação com problemas no som, hora alto demais, hora baixo em um nível onde não se ouviam os vocais e a bateria.

Ainda que com problemas, os “tiozinhos ingleses” animaram o público com uma performance pra lá de energética – e farofa -, suficiente para esquentar o clima com uma garoa insistente.

Mesmo animando a galera, houve que não desse a mínima para um dos percursores do speed metal, que inclusive teve alguns de seus shows abertos pelo próprio Metallica em 1983.

Pois bem, passada a banda de abertura, uma montagem de palco corrida e introdução, eis que surge, como de costume, Lars Ulrich primeiro que o restante do Metallica no palco.

Battery fez as honras de Rob, James, Kirk e Lars. Em seguida a música mais votada pelo público brasileiro para a apresentação: Master Of Puppets fez tremer o Morumbi e as capas de chuva foram devidamente dispensadas.

Welcome Home (Sanitarium) fez a plateia se embalar nos solos com o famoso “oooo…”. Já Fuel foi a patada que fez o público deixar o chão por alguns centímetros e com certeza é o hit da era “Load” e “ReLoad”; a faixa é a abertura do segundo.

Em seguida, o Metallica apresentou em primeira mão aos brasileiros The Lords Of Summer, música com título provisório (mas deve ser esse mesmo) que está em seu novo disco.

O grupo tocou pela primeira vez a faixa ao vivo em sua turnê sul-americana que começou no último domingo em Bogotá na Colômbia e terminou em São Paulo.

Um Morumbi absolutamente lotado ainda viu Wherever I May Roam, Fade To Black, One, Creeping Death (“die, die, die…”), Nothing Else Matters e a adorada, cantada em uníssono e clássica Enter Sandman.

O Metallica voltou para o bis para executar as três últimas músicas do show. Começando com a já citada cover Whiskey In The Jar que animou muita gente.

A penúltima faixa do show foi The Day That Never Comes de “Death Magnetic”, única do disco (injustiça!) a ser tocada. A música ganhou em votação através de SMS de Ride The Lightining e The Memory Remains, A votação aconteceu durante todo o dia e também durante o show.

Por último a tradicional Seek & Destroy de “Kill’Em All”, tocada com as luzes do estádio acessas.

Como diria James Hetfield, a “Metallica Family” estava lá, pronta para obedecer suas ordens, pronta a ovacionar o quarteto. Nem a chuva “em cima do muro” desanimou a família.

Mais uma vez o Metallica fez uma apresentação impecável e mostrou que o thrash metal dos anos 80 evoluiu num ponto que uma banda pode vir ao mesmo país e fazer 5 shows num período de 5 anos – de 2010 (dois shows em São Paulo) a 2014 eles só não se apresentaram por aqui em 2012 – e lotar todos eles, sendo dois como headliners do Rock In Rio.

Ainda que a alternativa de fazer os fãs escolherem as músicas que serão tocadas leve ao “mais do mesmo”, gratas surpresas provaram que a banda pode tocar coisas diferentes e que os fãs gostam e querem ver, ainda que pouco, músicas diferentes ao vivo.

Isso só prova o quanto os hits são atemporais, o quanto o público não os cansa de ouvir. Que venha um novo álbum, assim poderemos ouvir mais músicas novas e diferentes, sem perder as grandes faixas.

O destaque negativo mais uma vez foi o local. O Estádio do Morumbi é legal, cabe bastante gente mas fica praticamente impossível ir embora em um tempo relativamente curto e sem dores de cabeça.

Não tem estação de metrô perto (a menos longe é a Butantã), a circulação de ônibus – toda em torno do estádio – fica prejudicada por conta da quantidade de pessoas no local e táxis, ah os táxis, quem conseguia pegá-los em um tempo e lugar razoável teve sorte.

Muitos taxistas, ainda que com seus carros completamente vazios, negavam os passageiros, simplesmente passavam reto e, olha que este editor que vos fala nem tentou pegar um táxi na frente do Morumbi e sim um tanto longe dali.

Ficamos – eu e alguns fãs do grupo (um deles de muletas), que tivemos que dividir um táxi solidário – por cerca de 3h30 à espera de um que parasse. Detalhe: embaixo de chuva. Alô São Paulo, reclama-se com quem sobre isso?

Mas acredito que nem isso foi o suficiente para  tirar o brilho da apresentação da maior banda de thrash do mundo e que obviamente justifica esse rótulo.

Confira algumas fotos do show em nosso Instagram e abaixo veja qual foi o setlist escolhido pelos fãs brasileiros para o único show do Metallica por aqui em 2014.

“Battery”

“Master of Puppets”
“Welcome Home (Sanitarium)”
“Fuel”
“The Unforgiven”
“Lords of Summer”
“Wherever I May Roam”
“Sad But True”
“Fade to Black”
“…And Justice for All”
“One”
“For Whom the Bell Tolls”
“Creeping Death”
“Nothing Else Matters”
“Enter Sandman”
bis
“Whiskey in the Jar”
“The Day that Never Comes”
“Seek & Destroy”

Foto: Rock Noize

Comentários